sexta-feira, 13 de maio de 2011

Afogamentos

                       A Affonso Romano de Sant´Anna pela
                   inspiradora forma de seus "Assombros".



Por vezes, sinto-me afogando
em desmedidos-demasiados sentimentos.

Em terra, insuficientes olhos enxergam
e me adivinham os sofrimentos.

Paixões, amores, ilusões...
tendenciosos-aliciantes tormentos.

Nas águas, maiores ondas:
maiores os movimentos.

Pulsa o peito, encharcam-se os pulmões,
em vão: esperneantes batimentos.

Mais me debato, mais se embaralha
o fio dos pensamentos.

Não há resgate.
Não há salvo-conduto.
Revôlto, angustiante o mar me consome
e em sal eu me consumo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário